quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Seja você

Seja você

Se tem uma coisa, entre muitas, que me incomoda no comportamento humano do qual (acreditem ou não) eu estou inserido, é a limitação em enxergar o outro como um indivíduo único. Que este não precisa necessariamente dividir dos mesmos pensamentos e comportamentos que nós.

Enxergamos os outros pela nossa ótica e por ela as julgamos certas ou erradas, boas ou más, justas ou ímpias. Exercito em mim a desconstrução desse comportamento que é bastante irritante. O conheço bem porque frequentemente sou alvo desse tipo de crítica de dez entre dez opiniões que tenho. Mas sinceramente, não me incomodo com as consequências de ter e defender idéias diferentes do senso comum. No meio de tanta gente de tons pastéis (aprendi essa com Mel), eu quero mais é comemorar por não ser mais um que se choca com autenticidade, mas se conforma em ser um fake.

Não é que eu esteja (ou seja) revoltado, não. Apenas estou cansado de tanta gente medíocre, que ou não conseguem conviver com suas próprias limitações e sentimentos mal resolvidos ou precisam se moldar a um comportamento de massa pra poder se sentir aceito e parte integrante de algo. Continuem sendo essas pessoas mornas que vocês são e deixem eu ser o estranho.

Se tivesse que indicar um som pra acompanhar essa leitura, seria esse!

Nenhum comentário:

Postar um comentário