terça-feira, 2 de setembro de 2008

DiFÉrenças




Mesmo sem estar com internet, dei uma passada por aqui só pra compartilhar algo com vocês acerca da pluralidade da Igreja.
Hoje eu sei por que Paulo nos comparou a um corpo, escrevendo aos irmãos de Corinto.
Ele destrinchou perfeitamente acerca dos diferentes dons fazendo um paralelo com os membros e suas funções. Isso você vai encontrar em 1º Coríntios 12:12-31. Mas algo que ele não mencionou (e eu tenho percebido) é que mesmo esse corpo com diferentes membros é diferente em si mesmo. Já reparou como algumas pessoas têm um braço ou uma perna maior que outra? Como possuem nariz desproporcional ao rosto, ou a boca, ou aos olhos ou as orelhas? Ou ainda tem ombros mais largos do que os quadris? E isso não indica necessariamente uma deformação física. Às vezes são pessoas perfeitas e saudáveis, mas apresentam alguma assimetria no corpo. Isso não é um discurso ariano ou nada parecido é só pra ressaltar como podemos ser diferentes entre nós mesmos e ainda assim fazermos parte de um mesmo organismo ou corpo. Na nossa vida em pouquíssimas coisas temos padrões pra basear um comportamento modelo ou pra classificar uma parte de um todo. Não existe uma medida de beleza (ainda que a mídia insista em nos empurrar uma), ou um padrão de casa ideal e muito menos um arquétipo de fé. Talvez o que estimule sua fé não estimule a minha. Ou aquilo em que eu acredito não seja exatamente aquilo em que você acredita. A própria Bíblia (em que eu acredito por essência já que as diferentes traduções feitas de gerações em gerações tenham distorcido muitas coisas, mas aí já é outra discussão) não é especifica sobre muitas coisas acerca do que se pode ou não fazer em diversas situações, mas quanto a isso os escribas e fariseus, doutores da lei e da letra já se encarregaram de escrever nas entre linhas das Escrituras Sagradas os seus pareceres já que são “representantes” de DEUS. Claro que em alguns outros temas a Palavra de DEUS é bem clara, mas no tocante a fé ela não padroniza um paradigma. Será que temos a obrigação de fazer algo em que não acreditamos apenas pra não nos diferenciarmos de todos os outros? Eu acredito que não. Fé é algo individual que não se pode ser comparada ou mesmo medida. Cada um tem a sua. Em diferentes proporções e com diferentes alicerces. Pena que alguns irmãozinhos não entendam isso e ainda se incomodem com o corte de cabelo de A, ou a calça da irmã B, ou com a igreja C, ou como o irmão D não participa na Campanha do banho de folhas de não sei das quantas. Confesso que isso me entristece, mas, não me abate. É como dizem 'coração de homem é terra onde ninguém passeia'. Mas firme está meu coração em DEUS e não nos homens.
E caso você conheça DEUS apenas teoricamente, mas não tenha se entregado a ELE em sua totalidade, te digo que é possível um relacionamento de intimidade com o PAI, por meio da sua fé. Experiências sobrenaturais são reais. Basta buscar e isso independente de religiões ou igrejas. Busque as mãos e não apenas as bênçãos. São esses que ELE procura e se revela.
Fiquem na paz...

Nenhum comentário:

Postar um comentário